Eventos

Entrada Artigos Sociedade Europa Comum
Europa Comum PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Avaliação: / 0
FracoBom 
Escrito por Carlos Ventura   
Segunda, 09 Junho 2008 19:38

in revista Natural BeijaFlor
2005 julho

               As resistências à chamada constituição europeia são evidentes e têm sido traduzidas em votos negativos, mas são o pretexto para a impessoalidade, a burocracia, a destruição das características nacionais e locais, traços desta União Europeia cada vez mais evidentes. Desde há muito que a destruição das fronteiras foi um sonho de sucessivas vanguardas e elites. Porém, esta Europa tem tiques de ultraliberalismo desumanizante. A Europa sem fronteiras tem vindo a ser construída em função dos interesses dos grandes grupos económicos transnacionais que sucessivamente vão deslocalizando as suas unidade de produção para regiões onde o trabalho não tem direitos e onde os salários de miséria permitem lucros sem freio, mas deixam à deriva populações europeias a cargo de um apoio social progressivamente falido e inseguro. A questão é que não se vislumbra uma alternativa ao modelo europeu. Este modelo de liberdade, de democracia, de objectivos ambientais, de coesão social, de herança iluminista, de separação de poderes é claramente sustentado pela esmagadora maioria da opinião pública. Ele continua a valer a pena, mas tem que ser repensado pela classe burocrática europeia. Sob pena de as votações - como já aconteceu em França, na Holanda, em Inglaterra - deitarem fora o bebé com a água suja do banho.

 

Subscreva Newsletter

Medicinas Não Convencionais


Receber em HTML?