Eventos

Entrada Artigos Alimentação Vinagres e Sabor Ácido
Vinagres e Sabor Ácido PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Avaliação: / 4
FracoBom 
Escrito por Carlos Ventura   
Quarta, 02 Julho 2008 14:39
in revista Natural BeijaFlor
2006 junho
Vinagres & Sabor Ácido
O termo vinagre vem de vinho acre, ou seja, vinho azedo. Este processo ocorre naturalmente quando um líquido com menos de 18 por cento de álcool é exposto ao ar. No Ocidente a feitura do vinagre foi também competência dos produtores de vinho e de cerveja, até que no século XVII este fabrico se autonomizou e começou a ser produzido numa indústria separada. Esta, como as outras principais fermentações, foi descoberta desde a pré-história. Neste caso, o líquido alcoólico que sofreu fermentação acética espontânea terá sido a cerveja, fenómeno que terá sido adoptado pelas populações e com o tempo aperfeiçoado. A seguir ao sal, o vinagre foi um dos primeiros alimentos a ser usado como tempero, mas também como condimento e conservante. Nos alimentos e não só, é tradicionalmente usado como germicida.

Uma questão incontornável é a qualidade do produto e quanto a esta é preciso dizer que actualmente é comum a venda de vinagres destilados. Mas estes não deveriam ser usados como alimentos, já que são altamente desmineralizantes, destruindo o fósforo no organismo, estimulando em demasia a tiróide e enfraquecendo os glóbulos vermelhos.

O vinagre mais comum no nosso país é o de vinho. Porém é bastante agressivo para os rins e para o fígado. O de maçã ou de cidra é mais suave e o de arroz ainda mais, podendo inclusivamente ser terapêutico. Neste último caso, também contribui o facto de a fermentação ser diferente. De entre os vinagres disponíveis nas lojas de produtos naturais, há um radicalmente diverso: é o de ameixa umeboshi. Em primeiro lugar porque tem sal, o lhe confere possibilidades gastronómicas únicas e preciosas. Em segundo lugar, porque, apesar de ser apresentado como vinagre e de na realidade ter um sabor ácido acentuado, não é um produto de fermentação acética, mas láctica.

Na naturologia oriental, o vinagre de boa qualidade, se usado com moderação, é usado como desintoxicante e tem acção muito positiva sobre a função hepática, inclusivamente sobre o mau humor (comportamento associado ao mau funcionamento do fígado). Para estes casos, é aconselhada uma colher de chá de vinagre de arroz diluído num copo de água morna em jejum.

Como acontece com outros alimentos, será bom escolhê-los de fermentação natural, não filtrados nem pasteurizados, sob pena de estarmos a comer gato por lebre e em vez de estarmos a colher benefícios, estarmos a acumular problemas. Externamente, os vinagres são úteis em picadas de insectos e (embebidos num pouco de gaze ou num pequeno pano) para estancar o sangue do nariz. Usado para enxaguar os cabelos após a lavagem, torna-os sedosos, brilhantes e macios.

(Fonte principal: O Pequeno Livro dos Alimentos Saudáveis, ed. Gradiva)

 

Subscreva Newsletter

Medicinas Não Convencionais


Receber em HTML?