Eventos

Entrada Artigos História Michio Kushi
Michio Kushi Versão para impressão Enviar por E-mail
Medicinas Não Convencionais - História
Escrito por Carlos Ventura   
Segunda, 09 Junho 2008 12:45

in revista Natural BeijaFlor
2005 maio

Mais

A Geração da Paz

          A II Guerra Mundial queimou em brasa os anos quarenta do século XX, destruindo milhões de pessoas numa orgia de ódio, tecnologia negra e eficácia de morte. A geração que viveu esse tempo ficou profundamente marcada pela carnificina nos campos de batalha e pelo desperdício absurdo de cidades, campos e vidas inocentes. A sensibilidade do papa João Paulo II, recentemente falecido, vem da sua vivência nessa época como jovem polaco. A essa luz, é mais fácil perceber a muito debatida contradição entre o seu conservadorismo e a intransigente defesa da paz e oposição aos senhores da guerra do Iraque. Sabe-se como é frequente os melhores construtores da paz serem os que têm tatuados na carne os horrores da guerra. Foi o seu caso. No fim daquela guerra muitos sonharam com o fim de todas as guerras e apesar de a realidade não ter confirmado esse desejo, a Europa comunitária tem sido construída sobre esse grande objectivo. E a verdade é que nunca o espaço europeu esteve tantos anos em paz, o que quer dizer que dentro das fronteiras desta Europa o sonho está a cumprir-se. A geração que era jovem nos anos quarenta encontrou a maneira de nos legar um continente em paz, convivendo na diversidade. Não é coisa pouca.

Michio Kushi

          Michio Kushi é da mesma geração de Karol Woitila e, apesar de ser conhecido como o grande divulgador da Macrobiótica, a sua grande motivação foi, na realidade, promover a paz mundial. O que ele estudou na universidade não teve nada a ver com a alimentação ou a saúde. Foi Direito Internacional, exactamente para poder contribuir para o entendimento entre os povos, baseado em estados de direito e em regras de respeito mútuo. Mas um dia Oshawa, o mestre que impulsionou a vinda da macrobiótica para o Ocidente, pôs-lhe uma questão que o intrigou: "já pensaste na relação da alimentação com a paz mundial?". Michio levou anos a perceber o que Oshawa queria dizer, mas quando isso aconteceu foi a vez de ser ele a pegar no testemunho que Oshawa, já próximo do fim da vida, lhe passou a ele e a outros companheiros. Na realidade, a macrobiótica é a maneira de começar por si mesmo um processo de pacificação, de justiça e de responsabilização. Um processo interno, biológico, de reflexão e partilha, de união com o todo. Várias vezes Michio nos disse: "Porque é que vocês devem estudar e ensinar? Porque a vida é como uma caminhada em que necessariamente alguns se atrasam, caem, ficam doentes... O nosso papel é ajudá-los, vir atrás e partilhar com eles o que aprendemos para que a caminhada, a continuemos a fazer todos juntos."   

 

Subscreva Newsletter

Medicinas Não Convencionais


Receber em HTML?