Eventos

Entrada Artigos Fitoterapia Aula de campo de Fitoterapia por Ana Dias
Aula de campo de Fitoterapia por Ana Dias Versão para impressão Enviar por E-mail
Medicinas Não Convencionais - Fitoterapia
Escrito por Administrator   
Domingo, 30 Maio 2010 16:24

UMA AULA DE FITOTERAPIA AO AR LIVRE

Ana Dias

O Instituto Hipócrates de Ensino e Ciência organizou nos campos circundantes de Alcochete, no terceiro domingo de Abril, uma aula que integra o curso de Fitoterapia (com duração de 4 anos), que tem lugar em dois domingos por mês durante o ano académico.

Serviu esta lição para mais uma vez dar conta a todos os intervenientes do curso que a observação in loco e in vivo das múltiplas espécies torna mais esclarecedores os conteúdos programáticos que têm vindo a ser leccionados.

O IHEC dedica-se ao ensino, formação e investigação nas áreas dos Produtos Naturais. Dirige-se à formação de profissionais, quadros técnicos e quadros superiores em vertentes várias: Naturopatia, Fitoterapia, Acupunctura de micro-sistemas (mãos, pés, orelhas), entre outras.

No largo da esplêndida Igreja Matriz de Alcochete reuniram-se os participantes, de que faziam parte os professores Carlos Campos Ventura, João Ribeiro Nunes e Fernando Gonçalves. Miguel Boieiro, profundo conhecedor da flora deste habitat, orientou a aula. Diplomado pelo Instituto Hipócrates e actual presidente da Sociedade Portuguesa de Naturalogia, publica, habitualmente, trabalhos acerca de plantas medicinais e tem um conhecimento profundo do concelho de Alcochete uma vez que é a sua região de proveniência, tal como a dos seus progenitores. Actualmente desempenha acuradamente as funções autárquicas de Presidente da Assembleia Municipal.

Após uma curta visita à Câmara Municipal, partiu-se para uma colorida, didáctica e agradável viagem pelos campos envolventes ao Estuário do Tejo, uma das mais importantes zonas húmidas da Europa, onde todo o grupo se familiarizou com a específica e variadíssima flora local, como por exemplo: a orquídea selvagem Erva-língua, a Salicórnea, a Esparta, a Setembrista, a Acelga-marítima, a Mostarda-negra, o Crisântemo coronado, a Calêndula selvagem, o Junco, a Murraça, o Trevo cor-de-rosa, entre muitas outras.

O almoço de confraternização entre o grupo de meia centena de alunos e os seus professores teve lugar na "Casa da Malta", Associação recreativa com muitas actividades em Alcochete, que generosa e simpaticamente cedeu o seu espaço.

Durante a tarde houve ainda uma incursão pelo Pinhal das Areias, 13 hectares de lazer, zona de árvores diversas que integra o sítio das hortas. O corpo docente foi prestando mais alguns esclarecimentos sobre a flora que se ia apresentando.

Em tom conclusivo, visitou-se o Museu Municipal que prima pela perpetuação, memória e conservação de toda a vivência económica, social e cultural do concelho. Nele foi nomeadamente apreciada a parte do sal (Alcochete é, desde tempos imemoriais, local de salinas) com alfaias e fotografias históricas.

Quando nos separámos, a maior parte de nós encharcados pela chuva que se fez sentir durante todo o dia, sabíamos que tínhamos aprendido muito, fortalecido amizades e passado um dia de inolvidável beleza. A próxima aula de campo será em Junho e esperemos que não chova, se bem que a chuva foi um factor de aproximação e não de afastamento entre todos os elementos do grupo.
atualizado em Quarta, 02 Junho 2010 12:56
 

Subscreva Newsletter

Medicinas Não Convencionais


Receber em HTML?