Eventos

Entrada
Carta de Natal aos Alunos PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Carlos Ventura   
Sexta, 14 Dezembro 2012 21:52

em 2012 dez 14

Cara/o Aluna/o, ex-Aluna/o,

como é do conhecimento público, o Governo aprovou uma Proposta de Lei das Terapêutica Não Convencionais-TNC em 22 de novembro. Desde então, este assunto tem sido muito falado (inclusivamente em órgãos de informação), muitas mensagens têm circulado, muitas movimentações têm acontecido... Muitas destas coisas têm chegado a todos nós. Chegou a altura de comunicar consigo, para trazer até si a síntese do que se tem passado e fazermos o ponto da situação.

Desde a aprovação da proposta de Lei em Conselho de Ministros, reunimos o máximo de informação, para podermos agir de forma coerente e acertada. O Instituto Hipócrates-IHEC tem uma História de divulgação da Naturopatia e da Fitoterapia (e no geral das TNC), que vem na continuação do que os nossos maiores têm vindo a fazer em Portugal desde há mais de um século. Integramo-nos nessa História e, contra ventos e marés, nas condições dificílimas que se conhecem, temos tentado basear a formação e a divulgação nos grandes mestres da Naturopatia (e das TNC). Escolhemos o caminho mais difícil, o que vai mais fundo no estudo mas tem menos adeptos, daí sermos os únicos a ensinar a vertente clássica/ortodoxa da Naturopatia e Fitoterapia. Muita/os Aluna/os passaram já pelas nossas aulas, daí não podermos desistir de os defender.

A PROPOSTA DE LEI- Esta proposta recebeu críticas e desconfianças da generalidade dos Profissionais. Ela contém, na realidade, muitos pontos que desvirtuam a Lei 45/2003. As notícias que nos chegam são de que a probabilidade de aprovação da Proposta é alta, já que os partidos do Governo têm maioria absoluta. Ela pode contudo ser melhorada, e devemos fazer tudo para que ela seja expurgada dos aspetos perigosos. Até hoje, sempre a saúde natural venceu todos os desafios, mesmo os mais ameaçadores. Vamos sobreviver, até porque a população está connosco. Temos contudo que proceder de forma responsável, gerando convergências que multiplicam a nossa força, agindo com sabedoria e responsabilidade.

AÇÕES- Poucos dias depois da decisão do Governo, em reunião da Direção da Federação Portuguesa de Fitoterapia Profissional-FPFP (a que presido, como presidente da Associação Nacional dos Fitoterapeutas-ANF), propus que convocássemos para o dia 1º de dezembro um Plenário de associações e escolas com a seguinte ordem de trabalhos: troca de informações e ponto da situação; definição da estratégia a seguir. Era necessário reunir o sector, mostrar unidade e obter convergências. Conseguimos, em pouquíssimos dias, que duas dezenas de organizações (e também a assessora de um grupo parlamentar) se juntassem na centenária Sociedade Portuguesa de Naturalogia-SPN. No seguimento deste plenário, teve lugar seis dias depois um outro com mais do dobro dos participantes, também na SPN. Neste, nomeadamente, foi lançada com o acordo de todos a petição http://www.peticaopublica.com/?pi=P2012N33166 (que vos incentivo a assinar), que por dia tem tido mais de meia centena de assinantes, sendo a petição mais ativa. O IHEC esteve presente nestes dois Plenários, já que queremos ajudar a defender os nossos alunos e ex-alunos, nessa qualidade ou na de profissionais. A nossa vocação de criar plataformas e convergências neste sector continua assim a ser cumprida. Criar unidade e mostrar unidade é indispensável se quisermos vencer mais este desafio, que pode ter um saldo muito bom ou muito mau para todos. Temos, é claro, tido intensos contactos com as forças partidárias. Estamos também a preparar plataformas de ação em conjunto com outras organizações e escolas.

PROFISSIONAIS E ALUNOS- Que concluir deste processo legal que se arrasta desde que a Lei foi aprovada em 2003? O momento é de extrema delicadeza. Passos em falso podem deitar a perder décadas de conquistas, penosamente construídas. Tive o privilégio de ter estado ativamente presente nestas decisivas duas décadas que mudaram o panorama das medicinas naturais no nosso país: o primeiro passo, importantíssimo, foi termos conseguido a inclusão na lista nacional das profissões (com reuniões na Rua da Bempostinha); o segundo foi a vitória “impossível” contra o acto médico (com um grupo coeso e abnegado); o terceiro foi aprovarmos a melhor Lei da Europa (no fio da navalha até ao último minuto mas por unanimidade!). E 2013, o que nos trará a nós, Profissionais e Alunos das Terapêuticas Não Convencionais? O Futuro também depende de nós!

Em todas as civilizações, o solstício de inverno representa simbolicamente o ponto de partida para a Luz (o solstício de verão, auge da energia e da abundância). O Natal é isso também. É aqui que nasce a esperança. Sem dúvida que 2013 será marcante para a Saúde Natural em Portugal. A sociedade portuguesa precisa que continuemos a dar o nosso contributo para o seu bem-estar. Nós desejamos que este contributo seja cada vez melhor, com mais qualidade e que toque mais cidadãos. Trabalhemos então para que este desejo se concretize em 2013! Estamos juntos!

BOM NATAL! BOM ANO 2013!


Carlos Campos Ventura

 

PRÓXIMAS AÇÕES DE FORMAÇÃO SUSPENSAS

As ações que estávamos a preparar para um futuro próximo foram suspensas. Não nos pareceu correto lançá-las quando tantas interrogações estão no ar. Duas únicas se mantêm: a de Acupunctura do Pé e da Mão e a de Auriculopunctura, que estão incluídas na Proposta de Lei como nossa competência, sendo portanto valores seguros.

 

 

Subscreva Newsletter

Medicinas Não Convencionais


Receber em HTML?